Nossos “monstros” interiores…

Aproveitando o “Dia das Bruxas – Halloween” americano pra falar sobre os nossos “monstros” interiores…

Acho impressionante e ao mesmo tempo decepcionante como permitimos que algumas coisas mal resolvidas dentro de nós tomem proporções gigantescas e dominem os nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas ações e assim acabamos tendo resultados indesejados, quando temos, porque na maior parte das vezes, esses “monstros” nos impedem de agir.

Ficamos lá, não sei onde, paralisados, esperando não sei o que…

Talvez no nosso mais profundo “eu”, desejamos muito que alguém nos estenda a mão e nos ajude a sair de onde estamos, nos ajude a sorrir novamente, nos ajude a nos mover em direção a algum lugar, nos ajude a ver que a vida vale a pena ser vivida.

Muitas vezes passamos semanas, meses, anos assim… somente esperando que as dores desapareçam com o tempo, que sejamos perdoados ou perdoemos o que nos fizeram, que as saudades diminuam… e infelizmente os dias passam e nada disso acontece.

É preciso entender que o passado e o futuro são “ilusões” criadas em nossa mente. Só existe o aqui e o agora, e é através dele que podemos começar a fazer algo pra termos a vida que queremos ter.

Sim, é preciso fazer planos e pra isso o nosso racional cria a idéia de futuro. Sim, temos vivências, memórias que aconteceram lá atrás em algum lugar e chamamos isso de passado, mas perceba que algumas dessas memórias, as que doem mais, doem como se fosse agora, como se estivessem acontecendo agora.

Então, perceba a única pessoa que vai te tirar de onde você está é aquela que você vê quando se olha no espelho. Perceba que quanto mais você evitar olhar dentro de você, que é onde está o perdão, a compreensão, o amor, a cura, mais você irá sofrer e assim esses “monstros” continuarão te controlando e te impedindo de viver e ser feliz.

Lembre-se que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. Somente você pode dar o primeiro passo e sair de onde está e quando fizer isso, verá que existirão muitos “alguéms” te estendendo a mão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *